Imprimir Imprimir      Envie a um amigo... Envie esta página

A cidade de Guimarães recebeu, no dia 12 de Junho, o I Fórum Exportador, organizado pelo Conselho Empresarial da Região do Ave e do Cávado (CEDRAC), presidido por Sua excelência o Senhor Vice - Primeiro - Ministro, Dr. Paulo Portas.

Na introdução para o fórum, Eng.º Manuel Martins, fez a apresentação do CEDRAC e respetivas associações que o integram, abordando ainda a importância do tecido empresarial no desenvolvimento da região do Ave e Cávado.

 O presidente do CEDRAC, Eng.º João Albuquerque, reforçou que esta região é reconhecida pela sua força, uma vez que representa um terço de toda a indústria do Norte. Justifica-se, assim, a criação deste conselho empresarial que, pela união que promove entre empresas e associações, assegura a partilha de conceitos e ideias, criando novos desafios para as empresas, promovendo assim o seu desenvolvimento e crescimento.

Dr. Domingos Bragança, presidente da Câmara Municipal de Guimarães iniciou a sua intervenção alertando para a importância de se criarem condições para as empresas se manterem na região e poderem continuar a crescer, apostando em plataformas colaborativas.
Seguidamente foi apresentado o painel “Mecanismos de Apoio às Empresas na Exportação”, pelo Dr. António Marques, presidente da AIMinho – Associação Industrial do Minho, que moderou a intervenção dos restantes oradores.

O tema “O Norte 2020 no Apoio às Empresas” foi abordado pelo Eng.º Carlos Neves, Vice-Presidente da CCDR-n – Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte. Foi reforçada a preocupação da valorização dos recursos, essencialmente as pessoas como recurso endógeno. O Norte 2020 é o terceiro eixo com mais financiamento com cerca de 3.300 milhões de euros e caracteriza-se por ser um programa operacional com clara aposta na qualificação das empresas, impulsionando o aumento do volume de exportações da região.Com este investimento pretende-se afirmar o Norte como uma região por excelência para viver, visitar e investir.

Na sua intervenção sobre a “Inovação e Competitividade das Empresas na Via da Exportação” o Dr. Francisco Nunes, gestor do eixo COMPETE2020 – Programa Operacional Competitividade e Internacionalização, focou o domínio da competitividade e internacionalização, com especial incidência nos indicadores sociais e no emprego. Expôs, ainda, os sistemas de incentivo disponíveis às empresas, referindo as regras e passos para que estas se possam candidatar.

Pela AICEP – Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal, o diretor Dr. Pedro Rodrigues, relativamente aos “Desafios à Exportação e a Mudança das Empresas” referiu que este fórum está perfeitamente enquadrado numa região fortemente exportadora, que cresceu nos últimos anos graças a um forte esforço feito pelos seus empresários. O país tem agora um grande desafio que consiste em alargar a base exportadora e diversificar mercados.

Dra Maria João Nunes, Administradora Executiva da IFD – Instituição Financeira de Desenvolvimento, no Apoio às Empresas reforça que o IFD tem como objectivo colmatar as falhas de mercado no financiamento das PME’s. As linhas de actuação pelas quais se rege são a mobilização dos fundos Europeus, o funcionamento junto de instituições multinacionais e a coordenação de entidades financeiras públicas.

Os pontos-chave na apresentação do Dr. Nuno Madaíl focaram-se no papel do Montepio enquanto parceiro das empresas exportadoras, nos desafios, no papel da banca e na oferta existente ao nível da internacionalização. Referiu também a importância das empresas apostarem na internacionalização dos seus produtos e das suas marcas próprias.

O I Fórum Exportador contou com a ilustre presença do Senhor Vice-Primeiro-Ministro, Dr. Paulo Portas, que começou por felicitar a iniciativa do CEDRAC, concordando com o adágio de que a união faz a força. Louvou a união destas nove associações, que juntas contribuirão para aumentar a competitividade da região. Reafirmou que a escolha do tema da exportação para primeira iniciativa foi assertiva, visto que as empresas cada vez mais se estão a orientar para o exterior.

Os últimos indicadores do aumento da exportação revelam que as empresas estão cada vez mais ágeis, preparadas para a mudança, reforçando o seu potencial. Em 2010 os valores de exportação eram de 54 000 milhões de euros, aumentando em 2014 para 70 000 milhões de euros. Este dados confirmam que o potencial está cá, no entanto, é necessário apostar mais na competitividade das empresas exportadoras. Estes indicadores são ainda mais evidentes no aumento da representatividade das exportações nas economias emergentes.

A região Norte está à frente do resto do país em matéria de exportações, apresentando uma média superior a 6%, sendo que a média nacional é de 4%. Estes dados são mérito das empresas da região Norte, onde está inserida a região do Ave e do Cávado, regiões do âmbito de intervenção do CEDRAC.

Nas matérias de exportação e internacionalização é importante que os governantes entendam que são estas empresas que levam a marca Portugal lá para fora. Logo é essencial que o governo dê mais apoio às empresas que exportam, que levam o nome de Portugal além fronteiras.

Este evento constituiu uma excelente oportunidade de reunir empresários com ligação à exportação e internacionalização dos seus produtos e serviços, permitindo-lhes conhecer, de forma simples e agregada, um conjunto variado e completo de mecanismos, ferramentas, serviços e apoios que existem a nível do processo de internacionalização das suas empresas.

O CEDRAC dará continuidade ao seu trabalho, desenvolvendo estas e outras iniciativas que potenciem o crescimento da região e, citando o Sr. Vice-Primeiro-Ministro Dr. Paulo Portas, “sempre o Norte foi mais à frente na capacidade de transformar adversidades em oportunidades”.








.
. 253 965 769
Solicite informações Solicite Informações
logos
Largo Comandante Oliveira Martins, nº 12 e 13 - 4740 Esposende
Copyright © ACICE 2017. Todos os direitos reservados.
Esta página carregou em 0.443016 segundos.