Imprimir Imprimir      Envie a um amigo... Envie esta página
A ACICE está empenhada num conjunto de iniciativas de animação de Natal, cujo objectivo principal é atrair a população a consumir no comércio local do concelho de Esposende.

Com a animação de natal 2011 fica concluído  o Projecto ModCom que a ACICE desenvolveu ao longo do ano de 2011 e que foi responsável pela realização de iniciativas como a Feira dos Saldos de Verão, o Desfile de Moda Esposende Fashion, a I Feira Medieval de Esposende, S. Martinho e agora o Natal 2011.
 
O objectivo principal deste projecto foi claramente alcançado ao longo da sua realização, atraindo, através de iniciativas pautadas pelo sucesso e pela inovação, milhares de pessoas até ao concelho de Esposende.
 
Este aumento do numero de turistas e visitantes registado no ano de 2011, particularmente em períodos de menor fluxo de pessoas no concelho, potenciou uma maior promoção da nossa terra, do nosso tecido comercial e da qualidade dos serviços dos nossos empresários.
 
Especialmente neste ano em que se intensificou a crise económica que Portugal atravessa, é entendimento da ACICE que o investimento feito por esta Associação na animação foi um efectivo sucesso que se traduziu no aumento de vendas dos empresários e no aumento da promoção do concelho de Esposende.
 
Contudo muito há ainda para fazer, especialmente porque o ano de 2012 não se avizinha melhor no que há crise diz respeito.
 
O severo aumento da carga fiscal e a efectiva redução do poder de compra das famílias vai impor restrições fortemente penalizantes ao tecido empresarial do concelho, da região e de todo o país, pelo que urge criar novas formas de incentivar o consumo e apoiar o tecido empresarial.
 
É portanto fundamental, aproveitar este período para fazer uma verdadeira reflexão sobre a responsabilidade de cada um de nós, quer em termos individuais, quer no colectivo, potenciando alterações comportamentais ao nível das práticas quotidianas do nosso consumo.
 
 
 
Criar falsas expectativas ou comentar cenários macroeconómicos imputando responsabilidades a terceiros é algo que em nada ajuda a vencer a fragilidade económica do momento que atravessamos e que na maioria dos casos em nada ajuda aqueles que mais precisam e que vivem já situações de verdadeiro drama social.
 
Olhar para o lado, ignorar o que se passa e pensar que este momento se ultrapassa apenas com o esforço e trabalho de outros que não nós, é um erro grave que a seu tempo ditará um problema de ainda maior dimensão, para o qual eventualmente não estaremos preparados.
 
É portanto chegado o momento de cada um de nós pensar de que forma pode intervir, através de acções ou comportamentos para minimizar o impacto deste período, quer na sua vida, quer na vida dos demais, maximizando todos os recursos ao seu dispor.
 
O apelo do Sr. Presidente da República vem de encontro a esta realidade, assim como vem de encontro às várias campanhas já protagonizadas pela ACICE, incentivando de forma clara e inequívoca ao consumo daquilo que é nosso.
 
Mais do que consumir o que é Português, é fundamental que cada pessoa se consciencialize da importância de consumir na nossa terra, no nosso comércio local.
 
O consumo nos comerciantes da nossa terra representa a real protecção do emprego dos nossos familiares e amigos. Uma acção simples e directa que permite a participação e mobilização de cada um de nós.
 
Temos de deixar de profetizar ideias e vontades no que ao apoio da nossa terra diz respeito e temos de passar a materializar os nossos comportamentos de acordo com as nossas necessidades de consumo.
 
Mais do que concordar com estas estratégias, está na hora de efectivá-las, pensando antes de sair de casa qual a melhor forma de o fazer. É claro e evidente que a solução passa efectivamente por cada um de nós, que ao consumir na nossa terra, estamos a assegurar que a sua riqueza cresce, que o emprego dos nossos familiares e amigos se mantém e que mais cedo ou mais tarde os frutos voltam para as nossas carteiras.
 
Só desta forma estamos a contribuir para o crescimento e valorização do nosso tecido empresarial, para a valorização do nosso concelho de Esposende.
 
Este Natal, ao sairmos de casa, devemos estabelecer como prioridade a visita ao nosso comércio local, aproveitando o conforto do som e decoração das principais ruas da cidade, os espectaculares animadores de rua que distribuirão brindes pelos clientes, participar na Chegada do Pai Natal e mais importante do que tudo, adquirir os melhores artigos ao melhor preço, aqui na nossa terra, junto dos nossos amigos.
 
Que esta Natal, seja o início de um novo ciclo para todos nós, um ciclo de efectiva participação e mobilização cívica que sustente os valores que ajudaram a tornar Esposende o privilégio de que todos podemos usufruir.
 
Se o fizermos, estou certo que 2012 será um ano menos difícil do que insistentemente é apregoada pela comunicação social, bem como estou certo que poderá ser o ano da mudança que tanto precisamos.
 
Esta responsabilidade é efectivamente de todos nós, pelo que se cada um fizer a sua parte, o resultado será de sucesso, permitindo a construção de um concelho ainda mais forte e melhor preparado para ultrapassar qualquer adversidade.
 
O meu desejo para este Natal é que todos os Esposendenses pensem um pouco mais na sua terra e consumam no comércio tradicional do concelho de Esposende ajudando a manter os postos de trabalhos dos familiares e amigos.
 
Estou certo que será concretizado porque o melhor para a nossa terra é também o desejo e vontade de todos os Esposendenses, por nós, pela nossa família, pelos nossos postos de trabalho, pela nossa terra.
 
A todos desejo um Feliz Natal e um 2012 cheio de sucesso e prosperidade.
 
Presidente da Direcção da ACICE
Dr. José Faria
 
 
 
 

.
. 253 965 769
Solicite informações Solicite Informações
logos
Largo Comandante Oliveira Martins, nº 12 e 13 - 4740 Esposende
Copyright © ACICE 2018. Todos os direitos reservados.
Esta página carregou em 0.362796 segundos.